---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

Origem do Nome

Publicado em 02/10/2013 às 15:55 - Atualizado em 21/11/2018 às 10:27

A questão do nome: Guabiruba

 

Sabe-se que é uma palavra indígena - Tupi, com sua significação também em duas vertentes etimológicas: Guabiru = rato; Uba= pai, irmão, estar deitado, jazer. Então traduziríamos: Pai do rato, irmão do rato, rato deitado, onde jaz o rato. 

Outra versão é de que Guabiruba derivaria de uma árvore demoninada "pau de rato", possivelmente abundante na região. Etimologicamente: Guabiru = rato + Yba = planta, árvore, pau.

 

Autores remetem a guay, significando indivíduo, pessoa, associando biriba, curto, baixo.  Ou seja: indivíduo de baixa estatuta. Referência aos indígenas Guaianazes que habitavam o local. Muitas as versões, explicações e ainda sem fundamentadas conclusões. 

 

O embasado é que Guabiruba foi utilizado documentalmente, pela primeira vez, pelo próprio Barão Maximilian von Schneeburg, ao se dirigir ao Presidente da Província, solicitando a limpeza do rio Guabiruba: "O desembaraçamento do Rio Guabiruba foi feito em tempos de chuva; agora, porém, com águas baixas, que são mais frequentes, é preciso limpá-lo novamente, em certos lugares, tirar árvores, e mesmo cortar algumas das muitas serpentinas, que tornarão a sua navegação, com canoas menores, muito difícil, mesmo perigosa." O fato é que o rio recebeu este nome. Como o Barão chegou a este nome? Será que era assim que os índios chamavam aquele rio? Até o primeiro entrocamente era conhecido rio Guabiruba. Na altura da atual ponte que separa os bairros Guabiruba Sul e Imigrantes, os rios, na foz, receberam os nomes de suas direções, braço Norte do Rio Guabiruba e braço Sul do Rio Guabiruba. Assim, as respectivas localidades herdaram o nome do rio que entrecortava suas terras. O atual Aymoré, por ficar acima de Gubiruba do Norte, ficou sendo Guabiruba do Norte Alta.  O bairro Imigrantes muito pouco povoado em épocas passadas, era a Guabiruba Baixa. A Colônia Itajahy-Brusque nasceu conjugada com o Rio Guabiruba e, em suas margens foram assentados os imigrantes badenses. Ele foi a "primeira estrada", meio de comunicação e transporte. Por isso era preciso limpá-lo. Desde o início do adentramento de imigrantes, o rio Guabiruba e seus afluentes foram sofrendo sucessivos cortes. 

O documento citado continua: "mandei alargar e melhorar, pelos colonos, o trânsito da picada de Vicente Só ao Rio Guabiruba, pelas águas estagnadas nos lugares baixos, e pela passagem do gado se achou impraticável, assim como mandei prolongá-la, estivar e fazer pontes provisórias nos lotes 98 e 97"

 A passagem de gado pode ser referene aos primeiros bovinos adentrados em Brusque ou uma costumeira rota de cargueiros, para fazer os transportes necessários, o que parece mais convincente. A dificuldade na navegação obrigou a abrir caminho pela mata, geralmente seguindo o rio.

 Os imigrantes estabelecidos não sabiam falar português e, por isso, utilizavam nomes similares ao local como o nome do rio, ou a localidade oficialmente, mas os moradores tinham batizado suas localidades: Guabiruba do Sul, caracterizou-se como Langstrasse. Aymoré era a Weimerstrasse. O atual bairro São Pedro foi Peterstrasse ou Karlsdorf. O bairro Pomerânia, Pommerstrasse. Planície Alta, Hochebene ou Alto Piano, e os dois Lageados, chamado ao modo italiano de Lageada (pela década de 30, houve a diferenciação entre Alto e Baixo)

Alguns nomes de Guabiruba, fora da cidade:

 

Rua Cidade de Guabiruba. Bairro Parque Guarani - Joinville. CEP: 89235-730

Rua Guabiruba. Bairro Vila Ema - São Paulo, CEP: 03282-040

Rua Guabiruba. Bairro Velha Central - Blumenau. CEP 89040-465

Rua Guabiruba. Bairro Água Verde - Blumenau

Rua Guabiruba. Jardim Cecília - Carapicuíba/SP

Viela: Guabiruba. Jardim dos Pimentas - Guarulhos/SP


Trecho extraído da obra "Cultura e Religiosidade de um Povo de Eder Claudio Celva